Ligue agoraDepoimentos

O que é disortografia?

Disortografia é a dificuldade na representação ortográfica da escrita, onde ocorrem especificamente substituições de letras em razão das múltiplas representações de um mesmo som, caracterizada pela não compreensão das relações entre letras e sons.

As regularidades presentes na ortografia do português são bem complexas, exigindo do aluno a análise das correspondências grafo-fonêmicas e de tonalidade das vogais, como também a análise da morfologia e da sintaxe.

Assim, as trocas envolvendo substituições entre letras que representam os fonemas surdos e sonoros é uma falha na evocação de imagens mentais, imagens acústicas e articulatórias que permitem a identificação dos sons, assim como nas letras que gravam os sons. Tal dificuldade apresentará palavras escritas, sem a correta correspondência ortográfica.

Nesses casos há uma compreensão limitada quanto às relações e ao uso contextual de determinadas representações. Sendo assim, o principal objetivo do trabalho interventivo é utilizar estratégias que levem o sujeito a dar-se conta de que um som pode ser representado por diferentes letras e que uma mesma letra pode grafar diferentes sons.

Dessa forma, a atenção do leitor pode estar dirigida, nesses casos, mais para alcançar os significados das palavras do que voltada para a análise das letras que a compõe. Há um conflito entre memória de curto e longo prazo, sendo que a memória de curto prazo não infere modificações nos padrões estabelecidos pela memória de longo prazo.

No trabalho de intervenção terapêutica é necessário usar estrategicamente exercícios de memória visual, que nesses quadros de disortografia não estaria suficientemente desenvolvida para o cumprimento adequado da escrita.

Assim, tal intervenção não visa o treinamento, mas a reestruturação desses processos automatizados, criando condições para que outra forma de escrever, mais consciente, se desenvolva. A proposta visa “brincar” com os sons, buscando construir as correspondências adequadas entre os sons a serem escritos, e as letras específicas para cada um deles, buscando desenvolver a correta aplicação de estratégias para a escrita ortográfica.

Deborah Ramos | Psicopedagoga e Psicanalista Infantil

www.deborahramos.com