Ligue agoraDepoimentos

Entendendo melhor seu filho adolescente

É sempre muito difícil reconhecer o que é considerado normal ou patológico na fase normalmente conflituosa, que é a adolescência. O adolescente passa por desequilíbrios e instabilidades extremas nesta fase da vida, o que costuma ser bastante perturbador para o mundo adulto.

Neste período começará a ingressar em uma etapa nova da vida para o qual ainda não está preparado, pois para ingressar com sucesso neste universo deve conseguir desprender-se do mundo infantil no qual estava vivendo confortavelmente até o momento.

Esta fase pode parecer para o adolescente, como uma forma de luto, pois sente estar perdendo a dependência dos pais, seu corpo infantil e também sua tão conhecida identidade de criança. A atitude dos pais muitas vezes também parece não ajudar muito, pois os mesmos geralmente relutam em aceitar tantas mudanças no filho, bem como a perda de domínio que tinha sobre a criança que agora começa a querer se afastar naturalmente do ambiente unicamente familiar para se unir a um grupo maior, em prol da independência.

Assim, a necessidade de elaborar toda esta situação exige do adolescente um brusco desprendimento dos pais, apesar de oscilar muitas vezes entre a extrema dependência dos mesmos. Esta ambivalência costuma confundir não somente o próprio adolescente que não entende seu próprio comportamento, como os pais que não sabem como agir, ora protegendo demais e os fazendo se sentir sufocados ou oferecendo liberdade excessiva, fazendo com que se sintam abandonados. O equilíbrio por parte dos pais poderá ajudar consideravelmente na adequada passagem por esta fase de crescimento.

Este momento poderá ser atravessado com êxito quando a maturidade biológica do adolescente se equilibrar com a sua maturidade emocional e intelectual, mas antes de chegar a esta etapa poderá apresentar uma multiplicidade de identificações e contradições, por assimilar diversas identidades que observa do mundo a seu redor. O adolescente tende a provocar assim uma verdadeira revolução tanto no meio familiar como social, pois sente que deve planejar a sua vida, controlar todas as mudanças, adaptar suas necessidades ao mundo externo, e consequentemente tentar revolucionar a sociedade. Muitos pais tendem a resistir a este processo, o que tende a criar revolta ainda maior por parte do jovem.

A dificuldade do adulto em aceitar o amadurecimento físico, emocional e intelectual da criança, tende a ser desencadeante de dificuldades ainda maiores, pois os filhos tenderão a reagir com isolamento e rebeldia ainda maiores devido à confusão interna. Um exemplo seria a exigência para que o adolescente decida-se o quanto antes por sua vocação futura, enquanto impedem que o filho dê os primeiros passos rumo à independência, tenha um contato maior com o grupo de amigos e comece a sentir atração pelo sexo oposto. Todas estas questões são às vezes mal elaboradas pelos pais que procuram impor-se a qualquer custo, quando estão na verdade inconscientemente dificultando o crescimento e independência do filho.

A prevenção de uma adolescência difícil pode ser realizada com um maior conhecimento desta etapa por parte dos pais e até mesmo por lembrança de seus próprios momentos e conflitos nesta etapa da vida. A reflexão constante em busca de um melhor relacionamento com os filhos adolescentes deve ser uma busca contínua. Este é momento crucial na vida de todos os seres humanos, onde a partir de uma liberdade adequada oferecida, unida ao equilíbrio de normas que possam protegê-lo de conflitos maiores, poderão contribuir significativamente para uma adolescência bem sucedida e um ingresso satisfatório no mundo adulto.

 

Deborah Ramos | Psicopedagoga e Psicanalista Infantil

www.deborahramos.com